quinta-feira, 31 de agosto de 2006

A SEDE DO PEIXE

A sede do peixe (Para o que não tem solução)
(Milton Nascimento e Márcio Guedes)

Para o que o suor não me deu
O fogo do amor ensinou
Ser o barro embaixo do sol
Ser chuva lavrando sertão
Qual Aleijadinho de Sabará
E a semente das bananas

Para o que não tem solução
A sede do peixe ensinou
Não me vale a água do mar
Nem vinho, nem glória, navio
Nem o sal da língua que beija o frio
Nem ao menos toda raiva

Para o que não tem mais razão
A calma do louco ensinou
A dizer nada

Para o que não tem mais nada
A calma do louco ensinou
A dizer razão

4 comentários:

Raul disse...

É cara, a letra é foda mesmo. Tenho que ouvir isso...

Guigo disse...

Excelente esta letra. Tentarei acompanhar mais o seu blog, pois o conteúdo é muito bom.

Abraços

Alves disse...

Ah...O desenho do post, embora não esteja assinado, é meu!

Marton disse...

Srs. fundadores, o blog está muito inspirado, parabéns!