quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Amadureci a covardia em sarcasmo.
Posso rir do sofrimento.
Mistérios existem para simular profundidade.
Sou rasa, fútil. Não reverencio a primavera,
a mais sádica das estações.
Desde a infância, ela floresce minha asma.

Posso adiar a morte,
nunca o nascimento.
É impossível cortar a semente.

Fabrício Carpinejar (Cinco Marias – Bertrand Brasil, 2004)

3 comentários:

Paula Ribeiro disse...

lindo, meu querido. quem é esse?

beijos

Sam disse...

Cinco Marias... Sempre Maria. Bonito mesmo.

Alves disse...

Quanto cortar a semente, tem passarinho que acha que não...
Bonito isso aí cara!