sábado, 15 de julho de 2006


É bom saber que o mundo é grande quando não se tem ninguém.

É um consolo imaginar que em algum lugar por aí existe alguém que cabe certinho nos moldes que o destino preparou pra você e portanto pode viver ao seu lado, e que esse alguém também procura alguém igualzinho a você, que se veste como você, que fala como você, que tem as manias que você tem. Ou seja, é acreditar que sua cara metade está perambulando por qualquer canto do mundo e que a possibilidade de vocês se encontrarem e viverem um amor feliz e eterno existe.

Sinto vontade de sair a procura desse alguém as vezes, mas já aprendi que fazer planos é o exercício mais vão a que alguem pode se dedicar.

Prefiro acreditar que o próprio destino vai resolver isso pra mim.

4 comentários:

Sam disse...

Esse destino demora muito agir? Tô cansando já...

Paula Ribeiro disse...

Sabe o que dá mais ódio? Essa coisa de que, quanto mais se procura, pior é; tem é que deixar as coisas acontecerem (aff).

Raul disse...

É isso mesmo Paulinha, não adianta ir atrás, porque a felicidade acontece nas horinhas de descuido...

Alves disse...

É por aí, Rauzito...