domingo, 28 de maio de 2006

Manhã de Domingo

Domingo de manhã passou pela rua um boi.
Seu passo escravo, sua cara de rei, seu jeito manso de ser boi e
contemplar a liberdade que não existe nem se
quer por um dia inteiro, mas no pouco que dura é maior que
todos os dias, é grande o bastante pra lhe deixar descobrir
que o asfalto também é chão, e que revirar o lixo é mais
fácil que procurar por capim.

No cotidiano urbano, segue o boi vira-lata, que passa pelo açougue
e faz o sinal da cruz (em pensamento).

Seguindo sempre a sina. Balançando o sino num aviso inútil.

Andando devagar, sem se deixar ir pela pressa da cidade.



Domingo de manhã a vida cheira a estrume e piche sob a luz do sol.

7 comentários:

Alves disse...

Massa Raul, a vida as vezes passa muito asim. Mansa, como boi atravessando uma manhã de domingo.Bovino humanum est...

Escrevi letra viajante hoje, dá uma olhada...


E Viajei

Vesti o sapato
Calcei a camisa
Não me deixei alterar
Abri o sol
Para ver brilhar a janela
No céu
Não!!!
Não é o mundo que gira , não
É só meu coração sozinho no espaço
Sem saber
Onde fixar suas artérias-dúvida-
Eu já não sei mais onde é o lugar
De guardar minhas dúvidas
Me sinto tão bem

Abs brother
Alves

Samara disse...

Adorei o texto, Raul. Podemos fazer varias analogias com a historia desse boi.

Raul disse...

Legal Sam. É bom saber que houve a abertura de várias portas para a interpretação através do que eu escrevi. Gosto muito quando vocês comentam a respeito do que se passa aqui. Valeu!

Maíra disse...

Engraçado. Esse boi me fez lembrar exatamente o que vc comentou de minhas saudades. Me faz ser saudosa com uma realidade que nunca vivi, mas que tanto desejo e aguardo ansiosa para viver. A saudade do porvir parece mais angustiosa, mais confusa...

Mas nunca deixa de ser saudade

Paula Ribeiro disse...

Normalmente eu prefiro aquele Trident fresh mint, mas manhã de domingo pede hortelã.

Frescor de manhã de domingo não tem explicação - e é a única parte desse dia que realmente presta.

Beijos

Paula Ribeiro disse...

Para quem via o boi provavelmente a manhã de domingo era outra; aposto que pro boi era tudo primavera.

Dira disse...

acho q eu sou esse boi.