quinta-feira, 20 de abril de 2006

"Carreira" de sucesso


O rapaz simpático aí do lado é ninguém menos do que o homem que quer fazer da Bolívia o maior fornecedor de matéria prima para fabricação de cocaína no planeta. Juan Evo Morales Ayma é seu nome. Morales é o atual presidente do país e líder do movimento esquerdista boliviano cocalero, uma federação de agricultores que tem por tradição o cultivo de coca para atender um costume milenar da nação que é mascar folhas de coca. De origem ameríndia, da etnia aymará, o cara é um dos indígenas mais famosos da história da Bolívia.

Fã declarado de Fidel Castro, pelo fato do cara ser figura evidente na oposição à política norte-america, Morales não poupa argumentos em seus discursos e propõe que o problema da cocaína seja resolvido do lado do consumo.

É claro que o cara está mais que certo.

Primeiro porque o patrimônio cultural dos povos andinos (e de qualquer outro povo) é parte inseparável da cultura boliviana e não uma simples regulação de uma convenção estrangeira, e segundo porque por mais que a Bolívia possa se tornar uma potência mundial cultivando papoula (e essa possibilidade faz G. W. Bush se mijar de medo) não é direito de país algum definir as regras a serem seguidas por todos os homens.

Cocaína é uma droga ilícita, viciante e prejudicial à saúde, certo? mas coca-cola também é uma droga, viciante e prejudicial à saúde. A diferença é que coca-cola é lícita. Merda!

4 comentários:

Samara disse...

coca-cola é mais que tudo isso, é imagem, sobretudo uma forte imagem!

Paula Ribeiro disse...

Favorito no De minuto.

Paula Ribeiro disse...

Já ouvi sim, eu tenho o "Para quando o arco-íris encontrar o pote de ouro".

Anônimo disse...

"Depois de pensar um pouco
Ele viu q não tinha mais motivo e nem razão
E pode perdoa-la

É fácil culpar os outros
Mas a vida não precisa de juizes
A questão é sermos razoáveis

E por isso voltou
Pra quem sempre amou
Mesmo levando a dor
Daquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E pode amar como nunca havia amado

Mas como começar de novo
Se a ferida que sangrou
Acostumou a se sentir prejudicada

É só você lavar o rosto
E deixar que a água suja
Leve longe do seu corpo
O infeliz passado

E por isso voltou
Pra quem sempre amou
Mesmo levando a dor
Daquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E pode amar como nunca havia amado

E viveram felizes para sempre
E viveram felizes para sempre
Estavam livre da perfeição que só fazia estragos"